Menu
Home
Leia nosso Blog

Cursos de veterinária ganham protótipos para acabar com morte de animais para estudo.

Cursos de veterinária ganham protótipos para acabar com morte de animais para estudo.

Cursos de medicina e veterinária em São Paulo serão os primeiros do país a ganhar modelos sintéticos de humanos e cães para estudarem nas aulas de anatomia. A empresa brasileira...

Cursos de medicina e veterinária em São Paulo serão os primeiros do país a ganhar modelos sintéticos de humanos e cães para estudarem nas aulas de anatomia. A empresa brasileira Csanmek Tecnologia, que busca soluções para o mercado educacional, foi quem forneceu os protótipos.

Protótipos serão doados por empresa de tecnologia a universidades (Foto: Reprodução / Csanmek)

A doação é um exemplo forte da atual tendência crescente de acabar com a morte de animais e o uso de cadáveres para estudos e experimentos em salas de aula, tornando a pesquisa algo mais ético.

O humano e o cão sintético são chamado de Syndaver Human e Syndaver Canine, respectivamente. Cada um custa entre R$ 200 mil e R$ 700 mil e serão utilizados em simulações de cirurgias e treinamentos na formação dos cursos médicos.

Os modelos são muito complexos e fiéis à realidade, pois são feitos com textura e densidade muito similar às estruturas reais e possuem todo os sistemas e órgãos dos corpos naturais. Isso permite que haja o estudo de procedimentos cirúrgicos na prática, dissecações, entubações e todos os outros procedimento da área médica, possibilitando que o estudo saia do ambiente acadêmico, muito mais apto para atuar.

Os protótipos também possuem todas as reações físicas reais e podem até mesmo sangrar durante uma cirurgia, podendo ser, inclusive, cortados e suturados.

Além disso, o equipamento vem com um simulador 3D, integrado com hospitais e salas de aulas, permitindo que os alunos estudem na prática a resolução de casos clínicos e exames reais.

“Todos os anos, milhares de animais são sacrificados para o ensino superior, além da enorme burocracia e altos custos com a aquisição de cadáveres humanos. Essa tecnologia foi desenvolvida para reduzir esses números e modificar esse cenário, pois o simulador cirúrgico permite que os alunos utilizem um modelo realístico com todos os sistemas e órgãos na mesma coloração e densidade do real”, explica Claudio Santana, fundador da empresa Csanmek Tecnologia.

Santa diz ainda que “apesar de ser um equipamento para educação, a plataforma 3D também é utilizada por médicos e profissionais da saúde no dia a dia, para melhorar o aprendizado e compreensão das estruturas anatômicas reais e modeladas, e, junto com o Syndaver Canine, formou-se o cenário ideal”.

Fonte: www.anda.jor.br

Data da postagem: 12/02/2018

« voltar para o blog